Quais são as causas do aborto de repetição?

A perda de uma gestação é um momento traumático que pode causar transtornos psicológicos, como depressão e ansiedade. Mas, quando a mulher tem o diagnóstico de  aborto de repetição os traumas são ainda maiores, gerando intenso sofrimento.

 

A boa notícia é que, com o avanço da medicina reprodutiva, tratamentos de reprodução assistida, como é o caso da fertilização in vitro e da análise genética embrionária podem ser indicados para reduzir as chances de um novo abortamento para a mulher que deseja engravidar novamente.

 

O que é aborto de repetição e quais as principais causas?

 

Inicialmente, o aborto de repetição, também conhecido como abortamento de repetição ou  aborto recorrente, era definido como a perda de três ou mais gestações em sequência, confirmadas por ultrassom, antes de completar a vigésima semana.

 

No entanto, alguns estudos e consensos têm expandido o conceito e muitos profissionais já consideram que a perda de duas ou mais gestações, ainda que não sequenciais, incluindo as gestações bioquímicas, também se classifica como perda gestacional recorrente. As causas do aborto de repetição estão associadas a diversos fatores:

 

  • trombofilias;
  • infecções;
  • alterações hormonais;
  • malformações uterinas;
  • incompetência cervical;
  • alterações imunológicas
  • alterações nos espermatozóides;
  • alterações cromossômicas/genéticas.

 

É importante esclarecer que o abortamento recorrente pode ser causado por fatores femininos e fatores masculinos, e a identificação das causas só é possível após uma investigação completa, incluindo avaliação clínica e a realização de exames de imagem e laboratoriais.

 

Trombofilias

 

São doenças que aumentam o risco de trombose, que é a formação de coágulos no sangue que podem atrapalhar a implantação do embrião no útero e causar microtrombos placentários, aumentando assim as chances de  abortamentos.

 

A principal trombofilia relacionada ao abortamento de repetição é a Síndrome Antifosfolípide (SAAF). O diagnóstico de SAAF é feito de acordo com critérios abaixo e é confirmado com a presença de pelo menos um critério clínico e um critério laboratorial.

 

Critérios clínicos

  • Trombose vascular (um ou mais episódios): arterial ou venoso;
  • Perda obstétrica tardia (após 24 semanas), sem causa confirmada;
  • Morte inexplicada de feto normal após dez semanas de gestação;
  • Parto prematuro antes de 34 semanas devido a pré-eclâmpsia, eclâmpsia ou insuficiência placentária;
  • Três ou mais abortos espontâneos consecutivos.

 

Critérios laboratoriais (pelo menos duas medidas com intervalo de pelo menos 12 semanas)

  • Anticorpo anticardiolipina (aCL) (IgM e/ou IgG) positivos no sangue;
  • Anticoagulante lúpico (AL): detectado no plasma;
  • Anti-β2glicoproteína I (β2GPI) IgG ou IgM: presente no plasma.

 

Infecções

 

As infecções por toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus e sífilis podem estar associadas a casos de aborto, especialmente no primeiro trimestre da gestação.

 

Alterações hormonais

 

Alterações hormonais estão diretamente relacionadas a gravidez. Sendo assim, é necessário investigar os níveis hormonais através de exames como FSH, LH, TSH, T4 livre, prolactina, progesterona, entre outros. 

 

Alterações da Tireóide são as mais conhecidas e estão intimamente relacionadas a falha de implantação e abortamentos de repetição.

 

Malformações uterinas

 

As malformações congênitas (útero bicorno) ou desenvolvidas ao longo da vida (septos, pólipos, miomas) podem levar ao abortamento de repetição.

 

Incompetência Ístmico cervical

 

A incompetência ou insuficiência istmo cervical consiste em um colo do útero curto ou incompetente para segurar a gestação, provocando o aborto.

 

Alterações no espermatozóide

 

O aborto de repetição também pode ser causado por fatores masculinos, como alterações no DNA do espermatozoide.

 

Alterações cromossômicas/genéticas

 

Alterações cromossômicas e genéticas podem tornar o embrião incompatível com o desenvolvimento da vida, fazendo com que o organismo elimine-o. Esses embriões alterados geneticamente são chamados de aneuplóides e são a principal causa de abortamento inicial espontâneo.

 

É possível engravidar após o aborto de repetição?

 

Antes de mais nada, é necessário identificar e tratar a causa do abortamento recorrente antes de uma nova gravidez. Quando as perdas gestacionais persistem, mesmo após o tratamento clínico, razões genéticas podem estar associadas.

 

Nesses casos, a fertilização in vitro (FIV) com análise genética dos embriões pode ser a técnica de reprodução assistida indicada pelo médico especialista em medicina reprodutiva para garantir uma gravidez com menores chances de um novo abortamento.

 

O tratamento varia conforme as causas do aborto de repetição. Mas, em alguns casos é possível realizar técnicas de reprodução assistida para reduzir os riscos de abortamento em uma nova gestação e aumentar as chances de nascimento de um bebê saudável.

 

Como engravidar após aborto de repetição? 

 

Primeiramente, é fundamental lembrar que miomas, pólipos, alterações tubárias, malformações uterinas e infecções, por exemplo, devem ser tratados previamente, pois podem estar associadas ao aborto de repetição.

 

Mas, se ainda assim houver dificuldade em engravidar ou o abortamento recorrente persista, a fertilização in vitro com biópsia para análise genética do embrião pode ser recomendada. A técnica consiste em estimular o desenvolvimento  de vários óvulos, que então são coletados e fertilizados em laboratório.

 

Posteriormente, os embriões são submetidos a estudos genéticos (Teste Genético Pré-Implantacional) para rastrear alterações cromossômicas  e evitar a transferência de embriões geneticamente alterados.

 

Lembre-se que a avaliação e a indicação do tratamento para aborto de repetição são individuais. Fale com um médico especialista em medicina reprodutiva e tire suas dúvidas.

Dr. Sergio Gonçalves

Venha nos visitar

Venha nos visitar

Localização:

R. Teixeira da Silva 54, 11º Andar | Bela Vista - São Paulo, SP A 100 metros do Metrô Brigadeiro

Segunda a sexta, das 08 às 19h, e Sábado das 8 às 12h .

Entre em Contato

Disponibilizamos canais exclusivos para atendimento de nossos clientes. Preencha o formulário, ou se preferir utilize outro canal de contato abaixo.

Tem alguma dúvida? Ligue para Nós!

Ligue para Nós 11 4750.2231

Envie um WhatsApp!

11 99738.3269

Clínica Viventre © 2020 - Todos os direitos reservados.

Criação de Site: Agência 3xceler
Olá!

Gostaria de receber uma ligação?

Ligar